Os outros é que são iguais
Maceió, 21 de dezembro de 2014

Notícias » Cultura & Lazer

Salão de Artes da Marinha busca a renovação do mercado de artes de Alagoas

Arquiteto Pedro Cabral é um das novas estrelas do evento

19.11.2013 às 16:14:09

A 29a edição do Salão de Artes da Marinha promete surpresas e uma mostra representativa de novos artistas visuais que estão se formando em todo o Estado de Alagoas. O evento ocorrerá no período de 4 a 23 de dezembro, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, em Maceió, no bairro do Jaraguá. Cerca de cem artistas participam desta edição do salão, cada um com uma única obra.

A tônica da edição 2013 da mostra – que este ano ganhou o nome de “A Nova Arte dos Novos” – é justamente o trabalho dos artistas iniciantes.

“Não conheço o trabalho de grande parte desses artistas”, reflete a arquiteta e crítica de artes Carol Gusmão, que realizou palestra para alguns participantes do evento, na segunda-feira (11). “Mas há uma curiosidade sobre o que esses ‘novos’ trarão para o salão.”

De acordo com Carol, trata-se de uma oportunidade de ver como “Maceió vai se formando como celeiro de artes”.

“Vamos poder conhecer o trabalho de pessoas que estão criando outra identidade para a arte alagoana”, resume a professora universitária de História da Arte.

De acordo com o curador Fredy Correia, a ideia de mostrar o trabalho dos novos vem amadurecendo desde edições anteriores do Salão de Artes da Marinha. “Sempre misturávamos artistas consagrados com os iniciantes. Há seis anos já estamos fazendo essa mescla de forma sutil, até para não causar um impacto e afinal não ser bem aceita pelos artistas veteranos. Mas, aos poucos, os artistas mais experientes foram incorporando a ideia dos novos, ajudando-os, aconselhando-os e até criando uma admiração pelo trabalho desse pessoal que está chegando.”

Segundo Correia, 54 anos, o 29o Salão de Artes da Marinha “é o ápice” desse trabalho de inclusão dos novos, digamos, no mainstream das artes visuais alagoanas. “Dessa vez, atuamos de forma incisiva, criando o impacto mesmo. Sim, agora é a vez dos novos. O objetivo é oxigenar o mercado das artes em Alagoas”, diz Correa, também ele artista relativamente novo neste cenário, há menos de dez anos trabalhando com esculturas em aço inox.

A maior parte dos cem artistas inscritos no salão nunca fez exposição. Outros, porém, assim como Fredy Correia, já atingiram maturidade artística. É o caso do arquiteto Pedro Cabral, que realizou uma primeira individual de telas pintadas com acrílico, em setembro, na 4a Feira Literária de Marechal Deodoro.

Pedro Cabral é novato com personalidade

Divulgação
style=margin:

Acrílico sobre tela, do artista plástico Pedro Cabral

 Cabral elogia a iniciativa da Marinha (“O fato de a Marinha, há bom tempo, promover um salão de artes plásticas, fortalece o espírito agregador entre as forças militares e a sociedade, pelo viés cultural, o que humaniza tudo isso”) e diz que trabalha, “há certo tempo”, de forma autodidata. “Tenho estudado as diversas correntes das artes, tanto em teoria quanto na prática.”

Para quem já pôde apreciar a arte desse moço de 57 anos, sabe que ele passou da fase do aprendizado e atualmente trabalha com tintas e personalidade próprias. Mas é modesto. “Só recentemente criei coragem de expor alguns trabalhos em coletivas. Mesmo assim, sem ainda encontrar um estilo próprio. Creio que só o tempo e a produção me levarão a essa identidade.”

Com temática que se divide em séries – a música, as mulheres e o cotidiano –, o trabalho de Pedro Cabral tem atraído a atenção do público nas coletivas de que participou. “Creio que tenho certa receptividade quando enveredo por esses temas. Pessoas em bicicletas nas ruas causam boa impressão. Mas, ultimamente, penso fortemente em pintar gente na rua em festa. Como denúncia contra a violência que assola nossas cidades.”

O quadro da festa está pronto e é este que Cabral deve enviar ao salão. Mas ainda pensa num tema marinho, como homenagem ao próprio evento. “Estava pensando num tema sobre barcos, pescadores, navios, visando conquistar o Almirante”, afirma, em tom de brincadeira, desculpando-se por achar “que não dará tempo” de concluir o trabalho para o dia 3 de dezembro, quando o 29o Salão de Artes da Marinha fará uma pré-estreia para imprensa e convidados.




Agência Alagoas

Deixe seu comentário

Antes de escrever seu comentário, lembre-se: o AL1 não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!